sábado, 31 de maio de 2014

Novena em honra do Espírito Santo – Composta pela Beata Elena Guerra

3º dia
ORAÇÃO PREPARATÓRIA
Vinde Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do Vosso amor. Enviai o Vosso Espírito e tudo será criado,
R: e renovareis a face da Terra!

Oremos: Deus que instruístes os corações dos Vossos fiéis, com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas, segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre de Suas consolações, por Cristo Senhor Nosso, Amém!

HINO AO ESPÍRITO SANTO

Ó vinde, Espírito Criador,
as nossas almas visitai,
e enchei os nossos corações
com vossos dons celestiais.

Vós sois chamado o Intercessor,
do Deus excelso o dom sem par,
a fonte viva, o fogo, o amor,
a unção divina e salutar.

Sois o doador dos sete dons,
e sois poder na mão do Pai,
por Ele prometido a nós,
por nós seus feitos proclamais.

A nossa mente iluminai,
os corações enchei de amor,
nossa fraqueza encorajai,
qual força eterna e protetor.

Nosso inimigo repeli,
e concedei-nos vossa paz;
se pela graça nos guiais,
o mal deixamos para trás.

Ao Pai e ao Filho Salvador
por vós possamos conhecer.
Que procedeis do seu amor,
fazei-nos sempre firmes crer.

ORAÇÃO ANTES DA MEDITAÇÃO
Ó Divino Espírito, que pela Igreja sois chamado Criador, não somente porque és em relação a nós, criaturas; mas também, porque movendo nas nossas almas, santos pensamentos e afetos, criais em nós aquela santidade que é obra Vossa! Venha também sobre nós a Vossa benéfica virtude, e enquanto nós Vos honrarmos com este devoto exercício, digne-se a visitar com a Tua Divina Luz a nossa mente, e com Tua Suprema Graça o nosso coração, para que as nossas orações subam agradáveis a Vós, e do Céu, desça sobre nós a abundância de Vossas divinas misericórdias. Amém!

MEDITAÇÃO
Depois do pecado original, a miserável descendência de Adão sofre pela dor, consequência não apenas do primeiro pecado, mas também das obras cometidas por nós mesmos. Ora, o Espírito Santo, que é Amor, não deixará sofrer seus amados sem derramar sobre eles muitíssimas consolações. E é porque Ele nos consola, que a Igreja O chama de “Consolador Perfeito”, e possui para Ele os mais doces nomes, como “Pai do Pobres”, “Repouso no cansaço”, “Doce Refrigério”, “Alívio no Pranto”. Se bem que Ele não nos tira das mãos aquele cálice da amargura que devemos beber a semelhança do Salvador. Contudo, o Espírito Santo sabe misturar sua doçura às nossas amarguras nas dores que nos vem da parte das criaturas, Ele nos dá o conforto da Sua graça; nas desgraças, um doce e tranquilo impulso para nos conformarmos. Em cada sofrimento, o Espírito nos dá um raio de Sua luz que nos faz entender que por detrás daquele mal, existe um bem, e uma voz de verdade que nos recorda as eternas recompensas por sofrermos; e com Aquela voz de verdade, a alma atribulada é consolada pelo Perfeito Consolador que a ela se entrega. Se temos um Perfeito Consolador, porque o mundo está repleto de aflitos? Porque em toda a parte se derramam lágrimas, e porque se escutam os gemidos de dor? Porque se chega ao suicídio? Infelizmente, devemos constatar que esses não conhecem o Espírito Santo, que é o Verdadeiro Consolador do homem, porque o sofrimento deles não possui conforto. Mas porque isso acontece também entre os cristãos? A razão é clara: Também entre os cristãos, pouco se conhece e menos ainda se honra e se ora ao Espírito Consolador. Mas, se vemos almas que no sofrer se mantêm tranquilamente conformadas, podemos bendizer que elas estão com o Espírito Santo, e se vemos algumas que em meio as tribulações podem repetir como São Paulo que superabundam em alegria, podemos também dizer que estas são plenas do Espírito Santo e cheias da Verdadeira consolação.

ORAÇÃO
Ó minha alma fraca e mesquinha, o Espírito Santo até agora não te preencheu de todas as divinas consolações, porque foi por ti pouco conhecido, menos honrado, e rara e friamente invocado. Quando tristeza, abatimento, melancolia e toda espécie de dor oprimiam a minha alma, Vós ó Consolador Perfeito, esperavas de mim apenas um olhar, um suspiro, um lançar-se de filial confiança para derramar-me no seio de vossos divinos confortos. Perdoai minha ignorância e a falta de confiança com que Vos tenho tratado até agora. Neste momento, te abro toda a minha alma, ó Divino Consolador, e Vos prometo que em todas as dores desta vida, recorrerei prontamente ao Vosso socorro, e não procurarei outro consolador senão Vós, ó Pai dos Pobres, Repouso no cansaço e Alívio no pranto.

ORAÇÃO FINAL
Ó prometido e suspirado Consolador, Espírito Santo, procedente do Pai e do Filho, que escutando a unânime oração dos discípulos do Salvador, fraternalmente reunidos no Cenáculo, descestes para consolar e santificar a Igreja nascente; Sede propício às nossas súplicas, reacendei o Vosso Divino Fogo nos corações dos homens. Fazei resplandecer a Vossa luz até os confins da Terra; chamai novamente ao seio da Mãe Igreja Romana todas as Igrejas separadas. Ó Espírito Santo, que sois o Amor, piedade de tanta mediocridade e de tantas almas que se perdem! Fazei com que rapidamente aconteça aquilo que Davi profetizava dizendo: “Mandai o Teu Espírito”. Fazei-nos novas criaturas, e assim renovareis a face da Terra. A partir desta consoladora profecia, unidos em oração, como nos ensina a Igreja, com plena confiança repitamos: Enviai o Vosso Espírito e tudo será criado, e renovareis a face da Terra!

PAI NOSSO.... AVE MARIA.... GLÓRIA AO PAI....

INVOCAÇÕES AO ESPÍRITO SANTO

Pai onipotente e eterno, tende compaixão de nós!
Jesus, Filho Eterno do Pai, e Redentor do mundo, salvai-nos!
Espírito do Pai e do Filho, amor eterno de um e de outro, santificai-nos!
Trindade Santa, atendei-nos!
Espírito Santo que procedeis do Pai e do Filho, vinde a nós!
Divino Espírito, igual ao Pai e ao Filho, vinde a nós!
A mais terna e generosa promessa do Pai, vinde a nós!
Dom de Deus altíssimo, vinde a nós!
Raio de Luz celeste, vinde a nós!
Autor de todo o bem, vinde a nós!
Fonte de água viva, vinde a nós!
Fogo consumidor, vinde a nós!
Unção espiritual, vinde a nós!
Espírito de Amor e Verdade, vinde a nós!
Espírito de Sabedoria e de Inteligência, vinde a nós!
Espírito de Conselho e de Fortaleza, vinde a nós!
Espírito de Ciência e Piedade, vinde a nós!
Espírito de Temor do Senhor, vinde a nós!
Espírito de Graça e Oração, vinde a nós!
Espírito de Paz e Doçura, vinde a nós!
Espírito de Modéstia e Pureza, vinde a nós!
Espírito Consolador, vinde a nós!
Espírito Santificador, vinde a nós!
Espírito que governais a Igreja, vinde a nós!
Espírito de acréscimo de filhos de Deus, vinde a nós!

Espírito Santo, atendei-nos!
Vinde renovar a face da terra.  Espírito Santo, atendei-nos!
Derramai a vossa luz nos nossos espíritos.
Gravai a vossa lei nos nossos corações.
Abrasai os nossos corações no fogo do vosso Amor.
Abri-nos o tesouro das vossas graças,
Ensinai-nos como quereis que as peçamos.
Iluminai-nos pelas celestes inspirações.
Concedei-nos a ci­ência que é a única necessária.
Formai-nos na prática do bem.
Dai-nos o merecimento das suas virtudes.
Fazei-nos perseverar na justiça.
Sede Vós mesmo a nossa recompensa eterna.

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, enviai­-nos o Divino Consolador.
Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, enchei­-nos dos dons do vosso Espírito.
Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo,  fazei cres­cer em nós os frutos do Espírito Santo.

Enviai o vosso Espírito e tudo será criado!
E renovareis a face da terra!

Que o Senhor nos abençoe, nos livre de todo o mal e nos conduza à vida eterna! Amém!

Mês do Sagrado Coração de Jesus - Solenidade da Ascensão do Senhor

ORAÇÃO PREPARATÓRIA
Senhor Jesus Cristo, unindo-me à divina intenção com que na terra pelo vosso Coração Sacratíssimo rendestes louvores a Deus e ainda agora os rendeis de contínuo e em todo o mundo no Santíssimo Sacramento da Eucaristia até a consumação dos séculos, eu vos ofereço por este dia inteiro, sem exceção de um instante, à imitação do Sagrado Coração da Bem aventurada Maria sempre Virgem Imaculada, todas as minhas intenções e pensamentos, todos os meus afetos e desejos, todas as minhas obras e palavras. Amém.

LECTIO DIVINA - Textos: Atos dos Apóstolos 1, 1-11; Ef. 1, 17-23; Mt 28, 16-20

A Ascensão é a festa da libertação, exaltação e salvação.

Pe. Antonio Rivero, L.C.

Hoje a Santa Igreja celebra o mistério da Ascensão do Senhor, que, junto com o mistério de Pentecostes, que festejaremos no próximo domingo, configura a consumação do grande mistério da Encarnação do Filho de Deus, Jesus Cristo Nosso Senhor, e vem a ser a festa da libertação, exaltação e salvação.

Em primeiro lugar, sim, a Ascensão é a festa da libertação, pois é uma partida de Cristo para ao Pai, depois de cumprir a sua missão redentora aqui na terra. Libertação da solidão e do pranto, dos afãs desta vida, das fraquezas passionais do coração, das inclemências desta sociedade, do ódio e guerras, como declarou o Papa Francisco em Belém; da impertinência dos homens, ou como diria Teresa de Ávila, de “este cárcere e estes ferros nos quais a alma está metida”. E com a libertação, vem o grito de alegria e júbilo. Por quê querer seguir amarrado a tantas cadeias? Por quê não ir desde agora desatando tantos fios que nos ligam a esta terra e assim experimentar no coração esta verdadeira liberdade que Cristo ganhou para nós com a sua Ascensão?

Em segundo lugar, sim, a Ascensão, além de ser uma libertação é uma exaltação. É a exaltação de Cristo como Filho predileto do Pai, agora já sentado à direito de Deus. O Filho de Deus, que na terra não tinha onde reclinar a sua cabeça. Exaltação depois da terrível humilhação da paixão e morte, nas quais se rebaixou Jesus Cristo, Nosso Senhor. Exaltação, mas mostrando já gloriosos os sinais e os estigmas da sua flagelação. Hoje é o dia da exaltação dos grandes valores transcendentais frente aos contravalores terrenos. Os valores da alma, do espírito. Os valores religiosos, os valores éticos e morais. Hoje é o dia em que Deus exaltou a humildade de Cristo e a nossa, sobre a soberba; a caridade de Cristo e a nossa, sobre o ódio e egoísmo; o perdão de Cristo e o nosso, sobre as vinganças; a obediência de Cristo e a nossa, sobre as rebeldias; a vida santa de Cristo e a nossa, sobre a mediocridade e a tibieza. Bendita festa da exaltação autêntica!

Finalmente, a Ascensão é o dia da salvação. A salvação existe e é possível. Hoje temos um homem seguro da sua salvação: Jesus Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro homem.

Hoje temos um homem-Deus que nos oferece a sua salvação, e por isto nos precedeu e nos está preparando esta salvação que é o céu. Já está preparando os quartos para cada um de nós. Sem exceção. Todos querem chegar? Isto é motivo de grande alegria para todos. A salvação é possível! Também para os homens e mulheres, e não só para os anjos. A nossa natureza humana participará também desta salvação em Cristo e com Cristo. E devemos proclamar aos quatro ventos esta salvação total, corpo e alma, porque nos dá paciência na luta, alegria na vida, fortaleza nas dificuldades Lutemos para conquistar este céu já aberto e conquistado para nós por Cristo! E este céu tem um nome: é Jesus e a sua amizade.   

Para refletir:
1 - podemos resumir tudo o que foi dito nestes versos do poeta Frei Luís de Leão: “E deixas, Pastor santo, Tua grei neste vale fundo, escuro, com solidão, e pranto, e tu, rompendo o puro ar, te vais ao imortal seguro?” (Oda XVIII).
2 - Experimento a Ascensão do Senhor como um convite à libertação, à exaltação e à salvação da minha própria vida escondida em Cristo?

LADAINHA DO SAGRADO CORAÇÃO
Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, tende piedade de nós.
Senhor, tende piedade de nós.
Jesus Cristo, ouvi-nos.
Jesus Cristo, atendei-nos.
Deus Pai dos Céu, tende piedade de nós.
Deus Filho, Redentor do mundo, tende piedade de nós.
Deus Espírito Santo, tende piedade de nós.
Santíssima Trindade, que sois um só Deus, tende piedade de nós.

Coração de Jesus, Filho do Pai Eterno, tende piedade de nós.
Coração de Jesus, formado pelo Espírito Santo no seio da Virgem Mãe,
Coração de Jesus, unido substancialmente ao Verbo de Deus,
Coração de Jesus, de majestade infinita,
Coração de Jesus, templo santo de Deus,
Coração de Jesus, tabernáculo do Altíssimo,
Coração de Jesus, casa de Deus e porta do céu,
Coração de Jesus, fornalha ardente de caridade,
Coração de Jesus, receptáculo de justiça e amor,
Coração de Jesus, abismo de todas as virtudes,
Coração de Jesus, digníssimo de todo o louvor,
Coração de Jesus, rei e centro de todos os corações,
Coração de Jesus, no qual estão todos os tesouros da sabedoria e ciência,
Coração de Jesus, no qual habita toda a plenitude da divindade,
Coração de Jesus, no qual o Pai celeste põe as suas complacências,
Coração de Jesus, de cuja plenitude nós todos participamos,
Coração de Jesus, desejo das colinas eternas,
Coração de Jesus, paciente e misericordioso,
Coração de Jesus, rico para todos os que vos invocam,
Coração de Jesus, fonte de vida e santidade,
Coração de Jesus, propiciação para os nossos pecados,
Coração de Jesus, saturado de sofrimentos,
Coração de Jesus, atribulado por causa de nossos crimes,
Coração de Jesus, feito obediente até a morte,
Coração de Jesus, atravessado pela lança,
Coração de Jesus, fonte de toda a consolação,
Coração de Jesus, nossa vida e ressurreição,
Coração de Jesus, nossa paz e reconciliação,
Coração de Jesus, vítima dos pecadores,
Coração de Jesus, salvação dos que em vós esperam,
Coração de Jesus, esperança dos que em vós expiram,
Coração de Jesus, delícia de todos os Santos,

Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, perdoai-nos, Senhor.
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, ouvi-nos Senhor.
Cordeiro de Deus, que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós.

V. — Jesus, manso e humilde de coração,
R. — Fazei o nosso coração semelhante ao vosso.

ORAÇÃO
Onipotente e eterno Deus olhai para o Coração de vosso diletíssimo Filho e para os louvores e satisfações que ele vos tributa em nome dos pecadores, e àqueles que invocam vossa misericórdia, concedei benigno o perdão, em nome do mesmo Jesus Cristo, vosso Filho, que convosco vive e reina juntamente com o Espírito Santo por todos os séculos dos séculos. Amém.

CONSAGRAÇÃO AO CORAÇÃO DE JESUS (composta por Sta Margarida Maria)
Eu...(Nome), dou e consagro ao Sagrado Coração de Nosso Senhor Jesus Cristo a minha pessoa e minha vida, minhas ações, penas e dores, não querendo servir-me de parte alguma de meu ser, senão para o honrar, amar e glorificar É esta a minha vontade irrevogável - pertencer-lhe e fazer tudo por seu amor, renunciando completamente ao que não for do seu agrado. Eu vos tomo, pois, ó Sagrado Coração, por único objeto de meu amor, protetor de minha vida, segurança da minha salvação, remédio da minha fragilidade e inconstância, reparador de todos os meus defeitos e asilo seguro na hora da morte. Sede, ó Coração de bondade, minha justificação para com Deus, vosso Pai, e afastai de mim os castigos de sua cólera. Ó Coração de amor, ponho em vós toda a minha confiança, pois tudo receio de minha fraqueza e malícia, mas tudo espero da vossa bondade. Destruí em mim tudo o que vos possa desagradar ou resistir. Que o vosso puro amor se grave tão profundamente no meu coração, que eu não possa jamais me esquecer nem me separar de Vós. Suplico-vos, também, por vossa suma bondade, que o meu nome seja escrito em vós, pois quero fazer consistir toda a minha felicidade e minha glória em viver e morrer convosco, na qualidade de vossa (o) escrava (o). Assim seja.

Solenidade da Ascensão do Senhor

«Eu estou sempre convosco até ao fim dos tempos. »

A liturgia deste Domingo coloca-nos diante da Ascensão de Jesus. Mais que ascensão é uma exaltação/ manifestação da Sua glória. Jesus entrou na glória de Deus Pai e vive plenamente. O texto bíblico, de forma simples bem ao jeito de S. Mateus, apresenta-nos bem a ação: depois da ressurreição, quando tudo parecia perdido, Jesus manifesta-se e interpela. Estando os discípulos na Galileia, conforme Jesus lhes indicara, aproxima-se e nada mais resta do que adorar o Senhor. Não há palavras da parte deles. Jesus é que tem a palavra: é preciso agora dar testemunho d’Ele a todas as nações. Não os deixará sós, ficará sempre com eles.

Com tudo isto, algo mudou? Jesus continua a manifestar-se, a convidar, a anunciar e a enviar. Os nossos tempos precisam de escutar mais, de permanecer mais em Jesus e encontrar-se mais com Ele no monte da vida para com Ele partir. Só de um encontro verdadeiro com Jesus o discípulo consegue compreender a Vida para a qual é chamado a viver. O mundo precisa de homens e mulheres que glorifiquem a Deus com a sua vida. Não tenhamos medo, Ele está conosco até à eternidade.
Ir. Anabela Silva fma

Evangelho (Mt 28, 16- 20) - Festa da Ascensão do Senhor «Naquele tempo, os Onze discípulos partiram para a Galileia, em direção ao Monte que Jesus lhes indicara. Quando O viram, adoraram-no, mas alguns ainda duvidaram. Jesus aproximou-Se e disse-lhes: “Todo o poder Me foi dado no Céu e na terra. Ide e ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-as a cumprir tudo o que vos mandei. Eu estou sempre convosco até ao fim dos tempos”. »

«Naquele tempo, os Onze discípulos partiram para a Galileia, em direção ao Monte que Jesus lhes indicara. »

Os discípulos partiram depois de Jesus ter aparecido às mulheres e de lhes ter anunciado: “Não temais! Ide anunciar aos meus irmãos que se dirijam para a Galileia; lá me verão.” A Galileia era uma região desprezada devido às invasões e misturas de raças. Contudo passa a ter um valor teológico forte: Jesus iniciou a sua missão na Galileia e os discípulos iniciariam a sua onde começou o seu Mestre e no monte que Jesus lhes indicara. O monte: local particularmente significativo para Mateus pois representa o encontro com Deus.

Os discípulos partem para o local onde tudo começou. Voltam às raízes, à fonte de onde tudo partiu. Regressar às origens… para se deixar renovar pela vida que dali emana; para acolher mais uma vez a força regeneradora da mensagem proclamada; para sentir a espiritualidade que tocou os corações de tantos que seguiram Cristo. E o encontro dá-se no monte, lugar bíblico da manifestação de Deus. Assim fez muitas vezes Jesus ao longo da seu caminho – retirava-se para se encontrar com Deus. O convite passa agora aos seus discípulos. Há uma missão importante a levar a cabo e é preciso que cada um se encontre com Deus, que assuma a Vida e a sua Palavra para anunciar. Esta é a nossa vida: regressar às origens da vida cristã, acolher a Palavra do Ressuscitado em nós no encontro pessoal com Ele. E não temos que ter medo.
Para os dias de hoje é fundamental uma espiritualidade cristã bem assumida para se enfrentar os desafios da vida quotidiana. 

«Quando O viram, adoraram-no…»

Esta frase isolada remete-nos para a passagem dos reis magos a quando do nascimento de Jesus. Também eles partiram, viram Jesus e adoraram-no. A experiência de adoração reclama a exaltação, a glória do Ressuscitado. Diante do sucedido, poucos dias antes, a melhor atitude é a de adoração, de contemplação diante da vida de Jesus.

Meditando nos dois verbos pela qual a frase é composta – viram e adoraram-no – rapidamente nos coloca diante de um aspecto importante da vida cristã. A adoração a Jesus Eucaristia. A Carta Encíclica de João Paulo II – Ecclesia de Eucharestia – A Igreja vive da Eucaristia – no nº 25 refere: “O culto prestado à Eucaristia fora da missa é de um valor inestimável na vida da Igreja (…) Compete aos Pastores, inclusive pelo testemunho pessoal, estimular o culto eucarístico (…) É bom demorar-se com Ele e, inclinado sobre o seu peito como o discípulo predileto (cf. Jo 13, 25), deixar-se tocar pelo amor infinito do seu coração. “Como cristãos devemos sentir a necessidade de permanecer longamente, em diálogo espiritual, em adoração silenciosa, em atitude de amor diante de Jesus. Desta adoração receberemos a força, a consolação e o apoio para um testemunho mais corajoso e alegre.

«…mas alguns ainda duvidavam. »

Perante tudo o que tinha sucedido e mesmo tendo partido para a Galileia e estando a adorá-lo alguns duvidam. Acabam pôr em causa o acontecimento Ressurreição no aspecto demonstrável, no plano da ciência.

A comunidade de Mateus não difere muito das nossas comunidades. Possivelmente sentimos muito mais isto nos dias de hoje do que há uns anos atrás. Não existem comunidades perfeitas. No seio da grande comunidade cristã houve, há e sempre haverá pessoas que conviveram com o bem e o mal, a luz e as trevas, a fé e a dúvida. Apesar de professarmos a fé em Cristo Ressuscitado as dúvidas e incertezas também existem porque somos humanos e parecidos com Tomé: queremos ver. E no campo da fé não há muito para demonstrar. Não estamos no campo da ciência. A adesão a Cristo é adesão à Sua vida, é ter a convicção de que a sua mensagem, a sua palavra tem algo a dizer e a dar à vida do Homem. Este é o desafio maior para os nossos tempos onde já tudo é colocado em questão. Sente-se a necessidade de uma forte espiritualidade e a urgência de interioridade que permita dizer às pessoas “tu vales muito para mim”.

«Jesus aproximou-Se e disse-lhes: “Todo o poder Me foi dado no Céu e na terra.” »

Eis uma parte do testamento de Jesus: “Todo o poder Me foi dado no Céu e na terra.” Mais do que subir ao céu Mateus sublinha a glorificação de Jesus. No encontro com Ele, no monte, tocamos a exaltação de Jesus como Senhor para dar glória a Deus Pai.

Mais do que uma ascensão estamos diante de uma manifestação de glória. Jesus é Senhor do Céu e da Terra. Triunfou sobre a morte e vive em plenitude. Para entendermos o quanto sublime é esta frase recordemos o que nos diz S. Paulo na carta aos efésios: «O Deus de Nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos conceda um espírito de sabedoria e de revelação para O conhecerdes plenamente e ilumine os olhos do vosso coração , para compreenderdes a que esperança fostes chamados (…) Assim o mostra a eficácia da poderosa força que exerceu em Cristo, que Ele ressuscitou, (…)» Desejemos a mesma glória, deixemos que Deus faça em nós, acolhamos a Sua vida e deixemo-nos transformar. Como dizia S. Anselmo “A glória de Deus é o Homem vivente”.

«Ide e ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-as a cumprir tudo o que vos mandei. »

Depois de uma auto revelação surge um mandato – ide e ensinai. Interessante que o mandato já não é só para o povo de Israel mas para todas as nações, gera-se o aspecto universal do anúncio. E o mandato ainda engloba o baptismo feito em nome da Santíssima Trindade. Os discípulos ensinariam tudo o que o mestre lhes tinha mandado, a vida de comunhão com Deus.

Podemos espelhar aqui neste mandato o papel evangelizador da Igreja. Sendo a Igreja de Cristo ela sente este mandato como uma prioridade. É preciso continuar a gerar novos filhos, introduzi-los na vida de comunhão da Trindade, libertando-os de tudo o que oprime e prejudica a vida humana. É preciso dizer a todas as nações que a mensagem de Cristo Ressuscitado liberta do que é mundano e distância dos contra valores da sociedade. É preciso ir ao encontro das pessoas com a audácia de Cristo, sem medo, orientando-as para que encontrem um sentido na vida. Como seria belo e fantástico se o nosso anúncio e ensinamentos tocassem a vida das pessoas que nos rodeiam; como seria belo se o nosso coração sentisse o empenho missionário com os que estão próximos a fim de usufruírem dos nossos gestos e palavras; como seria belo sentirmos e sermos cada vez mais as mãos, os pés, a boca, as pernas, os braços, os olhos e o coração de Cristo para que todos entendessem a que esperança fomos chamados: a sermos filhos de Deus – Amor. 

«Eu estou sempre convosco até ao fim dos tempos.” »

Jesus deixa ainda uma promessa para que não se sinta a dificuldade da evangelização. Ele estará sempre com eles até ao fim dos tempos, estará sempre presente em qualquer situação. Não será fácil a missão por isso Jesus infunde-lhes a confiança de que nunca estarão sós.

Se olharmos para a vida de Jesus poderemos desanimar e até pensar que Ele exige muito e a missão que nos confia tem um preço muito alto. Mas o convite é esse mesmo: não tenhamos medo. Ele está presente na Igreja com a Sua Palavra e nos sacramentos, sinais visíveis do seu amor pela humanidade e da força salvífica em cada um de nós. Embora já não no estado físico mas numa presença nova, com o seu espirito, fundamenta e alimenta a nossa esperança, a nossa alegria, o nosso optimismo e o nosso testemunho. Jesus é Deus conosco. E voltamos ao princípio do evangelho de Mateus. Jesus ficará sempre conosco. Cabe agora a nós acolhê-lo e viver com e como Ele.


sexta-feira, 30 de maio de 2014

Novena em honra do Espírito Santo – Composta pela Beata Elena Guerra

2º dia

ORAÇÃO PREPARATÓRIA
Vinde Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do Vosso amor. Enviai o Vosso Espírito e tudo será criado, e renovareis a face da Terra!

Oremos: Deus que instruístes os corações dos Vossos fiéis, com a luz do Espírito Santo,
fazei que apreciemos retamente todas as coisas, segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre de Suas consolações, por Cristo Senhor Nosso, Amém!

HINO AO ESPÍRITO SANTO

Ó vinde, Espírito Criador,
as nossas almas visitai,
e enchei os nossos corações
com vossos dons celestiais.

Vós sois chamado o Intercessor,
do Deus excelso o dom sem par,
a fonte viva, o fogo, o amor,
a unção divina e salutar.

Sois o doador dos sete dons,
e sois poder na mão do Pai,
por Ele prometido a nós,
por nós seus feitos proclamais.

A nossa mente iluminai,
os corações enchei de amor,
nossa fraqueza encorajai,
qual força eterna e protetor.

Nosso inimigo repeli,
e concedei-nos vossa paz;
se pela graça nos guiais,
o mal deixamos para trás.

Ao Pai e ao Filho Salvador
por vós possamos conhecer.
Que procedeis do seu amor,
fazei-nos sempre firmes crer.

ORAÇÃO ANTES DA MEDITAÇÃO
Ó Divino Espírito, que pela Igreja sois chamado Criador, não somente porque és em relação a nós, criaturas; mas também, porque movendo nas nossas almas, santos pensamentos e afetos, criais em nós aquela santidade que é obra Vossa! Venha também sobre nós a Vossa benéfica virtude, e enquanto nós Vos honrarmos com este devoto exercício, digne-se a visitar com a Tua Divina Luz a nossa mente, e com Tua Suprema Graça o nosso coração, para que as nossas orações subam agradáveis a Vós, e do Céu, desça sobre nós a abundância de Vossas divinas misericórdias. Amém!

MEDITAÇÃO - O Espírito Santo habita em nós
É esta uma consoladora verdade expressa no Evangelho (Cf. Mt 10, 20), e confirmada pelo Apóstolo Paulo quando escreve aos Coríntios: “Não sabeis que o Espírito Santo habita em vós? E não sabeis que o vosso corpo é templo do Espírito Santo?”  É também por isso que a Igreja Católica se alegra em chamar o Divino Espírito de “Doce Hóspede da Alma”.
Hóspede que reveste da graça santificante, que irriga da divina luz, que a faz capaz de obras merecedoras da vida eterna.
Segundo São Tomás, o Espírito Santo é para nossa alma o que a alma mesma é para o nosso corpo.
E assim, como um corpo não pode viver sem a alma, uma alma privada do Espírito Santo é morta, morta para a graça, morta ao santo amor, e incapaz de conquistar méritos para o Céu. Ai de quem expulsa com o próprio pecado o Doce
Hóspede da Alma, porque expulsa o amor, a graça e perde a própria vida.
Sim, ó Cristão, o Espírito habita em ti. E se tens fé, deves estar convicto sempre desta verdade: Nunca te encontrarás sozinho. Está contigo o Doce Hóspede da Alma.
Está contigo de dia e de noite, na fadiga e no repouso, na deficiência e na prosperidade. Contigo estará (e mais o do que nunca) na oração e na tribulação. Ah, se tu soubesses te valer da presença de um amigo tão bom e poderoso! Se nas tentações, nos perigos e nas angústias te recordasses que possuis o Espírito Santo dentro de ti! E se a Ele recorresses prontamente quando o preocupasses.
Pare o teu pensamento algumas vezes durante o dia na consideração desta dulcíssima verdade: O Espírito Santo habita em mim! Se pensares assim, não terás apenas alegrias, mas também novas forças para avançar nos caminhos da virtude.

ORAÇÃO
Ó Altíssimo Deus, que em tudo sempre sois Admirável e grande, mas ainda mais nas obras de amor, elegestes a alma cristã para Vosso Tabernáculo e não só lhe conferistes Vossos bens, mas doastes a Vós mesmo.
Ah! Se a Vossa bondade fosse ao menos apreciada por algumas almas, e se Vós não fosses tão contristado e ofendido por essas almas que deveriam amar-Vos tanto!
Arrependo-me ó Sumo Amor de ter tantas vezes, também eu, Vos contristado com a minha frieza, esquecimento e ingratidão. Arrependo-me também de ter vos expulsado do meu coração e dado lugar ao Vosso eterno inimigo, o pecado, e com esse, o demônio. Mas sei que uma sincera lágrima de arrependimento servirá para chamar-Vos. Sei que sois mais amoroso que uma doce mãe. Sois sempre pronto a perdoar. Por isso, com confiança, Vos digo: Vem ó Espírito Santo; Vem a esta alma que não quer mais contristar-Vos, nem ofender-Vos jamais.

ORAÇÃO FINAL
Ó prometido e suspirado Consolador, Espírito Santo, procedente do Pai e do Filho, que escutando a unânime oração dos discípulos do Salvador, fraternalmente reunidos no Cenáculo, descestes para consolar e santificar a Igreja nascente; Sede propício às nossas súplicas, reacendei o Vosso Divino Fogo nos corações dos homens. Fazei resplandecer a Vossa luz até os confins da Terra; chamai novamente ao seio da Mãe Igreja Romana todas as Igrejas separadas.
Ó Espírito Santo, que sois o Amor, piedade de tanta mediocridade e de tantas almas que se perdem! Fazei com que rapidamente aconteça aquilo que Davi profetizava dizendo: “Mandai o Teu Espírito”. Fazei-nos novas criaturas, e assim renovareis a face da Terra. A partir desta consoladora profecia, unidos em oração, como nos ensina a Igreja, com plena confiança repitamos: Enviai o Vosso Espírito e tudo será criado, e renovareis a face da Terra!

PAI NOSSO.... AVE MARIA.... GLÓRIA AO PAI.... 

INVOCAÇÕES AO ESPÍRITO SANTO 

V. Vem Espírito Santo, ESPÍRITO DA SABEDORIA:
R. Teu fogo penetra toda sabedoria deste mundo. Teu ímpeto derruba o que é poderoso e eleva o que é humilde.

V. Vem Espírito Santo, ESPÍRITO DE INTELIGÊNCIA:
R. Somente em Ti percebemos os mistérios divinos. Só por ti reconhecemos o caminho para o qual somos chamados.

V. Vem Espírito Santo, ESPÍRITO DE CONSELHO:
R. Tu afastas dúvidas e insegurança. Em Ti a vontade do Senhor nos é revelada.

V. Vem Espírito Santo, ESPÍRITO DE FORTALEZA:
R. Em Tua força, os apóstolos, os mártires e os confessores encontram a coragem para testemunhar a Cristo.

V. Vem Espírito Santo, ESPÍRITO DA CIÊNCIA:
R. Na criação reconhecemos o teu Poder, na revelação, a tua Sabedoria; na Redenção, o teu Amor.

V. Vem Espírito Santo, ESPÍRITO DE PIEDADE:
R. Em Ti recebemos o Espírito que nos faz filhos de Deus, e podemos exclamar, cheios de alegria: meu Pai!

V. Vem Espírito Santo, ESPÍRITO DO TEMOR DE DEUS:
R. Só Tu nos tornas capazes de reconhecer o pecado e a santidade divina.

V. Deus poderoso, Pai de Nosso Senhor Jesus Cristo, tua Igreja vive no Espírito Santo que lhe enviaste. Nós te pedimos: enche todos os cristãos cada vez mais com tua força e os une entre si. Dá-lhes o Espírito da Sabedoria e da Inteligência, do Conselho, da Fortaleza e da Ciência, o Espírito da Piedade e do Temor de Deus. Por Cristo, Nosso Senhor.
R. Amém.

MÊS DE MARIA - 31 de Maio: A Visitação da Virgem

LEITURA
Evangelho (Lc 1,39-56): Naqueles dias, Maria partiu apressadamente para a região montanhosa, dirigindo-se a uma cidade de Judá. Ela entrou na casa de Zacarias e saudou Isabel. Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou de alegria em seu ventre, e Isabel ficou repleta do Espírito Santo. Com voz forte, ela exclamou: «Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre! Como mereço que a mãe do meu Senhor venha me visitar? Logo que a tua saudação ressoou nos meus ouvidos, o menino pulou de alegria no meu ventre. Feliz aquela que acreditou, pois o que lhe foi dito da parte do Senhor será cumprido!». Maria então disse: «A minha alma engrandece o Senhor, e meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, porque ele olhou para a humildade de sua serva. Todas as gerações, de agora em diante, me chamarão feliz, porque o Poderoso fez para mim coisas grandiosas. O seu nome é santo, e sua misericórdia se estende de geração em geração sobre aqueles que o temem. Ele mostrou a força de seu braço: dispersou os que tem planos orgulhosos no coração. Derrubou os poderosos de seus tronos e exaltou os humildes. Encheu de bens os famintos, e mandou embora os ricos de mãos vazias. Acolheu Israel, seu servo, lembrando-se de sua misericórdia, conforme prometera a nossos pais, em favor de Abraão e de sua descendência, para sempre». Maria ficou três meses com Isabel. Depois, voltou para sua casa.

Comentário: Mons. F. Xavier CIURANETA i Aymí Bispo Emérito de Lleida (Lleida, Espanha)

O menino pulou de alegria no meu ventre

Hoje contemplamos o fato da Visitação da Virgem Maria a sua prima Isabel. Tão rapidamente como lhe foi comunicado que tinha sido escolhida por Deus Pai para ser Mãe do Filho de Deus e que sua prima Isabel tinha recebido também o dom da maternidade, caminha decididamente até a montanha para cumprimentar sua prima, para compartilhar com ela o gozo de terem sido agraciadas com o dom da maternidade e para servi-la.

A saudação da Mãe de Deus provoca que o menino, que Isabel leva no seu ventre, pule de entusiasmo dentro das entranhas de sua mãe. A Mãe de Deus, que leva Jesus no seu ventre é causa de alegria. A maternidade é um dom que gera alegria. As famílias alegram-se quando há um anúncio de uma nova vida. O nascimento de Cristo produz certamente «uma grande alegria» (Lc 2,10).

Apesar de tudo, hoje em dia, a maternidade não é devidamente valorizada. Frequentemente colocam-se em primeiro lugar outros interesses superficiais, que são manifestação de comodidade e de egoísmo. As possíveis renúncias que comporta o amor paternal e maternal, assustam a muitos matrimônios que, talvez pelos meios que receberam de Deus, devessem ser mais generosos e dizer “sim” mais responsavelmente a novas vidas. Muitas famílias deixam de ser “santuários da vida”. O Papa João Paulo II constata que a contracepção e o aborto “têm as suas raízes numa mentalidade hedonista e irresponsável a respeito da sexualidade e pressupõem uma concepção egoísta da liberdade, que vê na procriação um obstáculo ao desenvolvimento da própria personalidade».

Isabel, durante cinco meses, não saía de casa, e pensava: «Isto é o que o Senhor fez por mim» (Lc 1,25). E Maria dizia: «A minha alma glorifica o Senhor (…) porque pôs os olhos na humildade da sua serva» (Lc 1,46.48). A Virgem Maria e Isabel valorizam e agradecem a obra de Deus nelas: a maternidade! É necessário que os católicos reencontrem o significado da vida como um dom sagrado de Deus aos seres humanos.

Reflexões de Frei Carlos Mesters, O.Carm

* Lucas acentua a prontidão de Maria em servir, em ser serva. O anjo falou da gravidez de Isabel e, imediatamente, Maria se levanta apressadamente para ir ajudá-la. De Nazaré até à casa de Isabel são bem mais de 100 quilômetros, quatro dias de viagem, no mínimo! Não havia ônibus nem trem. Maria começa a servir e cumprir sua missão a favor do povo de Deus.

* Isabel representa o Antigo Testamento que estava terminando. Maria representa o Novo que está começando. O Antigo Testamento acolhe o Novo com gratidão e confiança, reconhecendo nele o dom gratuito de Deus que vem realizar e completar a expectativa do povo. No encontro das duas mulheres manifesta-se o dom do Espírito. A criança estremece de alegria no seio de Isabel. Esta é a leitura de fé que Isabel faz das coisas da vida.

* A Boa Nova de Deus revela a sua presença numa das coisas mais comuns da vida humana: duas donas de casa se visitando para se ajudar mutuamente. Visita, alegria, gravidez, criança, ajuda mútua, casa, família: é nisto que Lucas quer que as comunidades e nós todos percebamos e descubramos a presença de Deus.

* Isabel diz a Maria: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre!” Até hoje, estas palavras fazem parte do salmo mais conhecido e mais rezado no mundo inteiro, que é a Ave Maria.

* "Feliz aquela que acreditou, pois o que lhe foi dito da parte do Senhor vai acontecer". É o elogio de Isabel a Maria e o recado de Lucas para as comunidades: crer na Palavra de Deus, pois a Palavra de Deus tem força para realizar tudo aquilo que ela nos diz. É Palavra criadora. Gera vida nova no seio da virgem, no seio do povo pobre que a acolhe com fé.

* Maria e Isabel já eram conhecidas uma da outra. E no entanto, neste encontro, elas descobrem, uma na outra, um mistério que ainda não conheciam e que as encheu de muita alegria. Hoje também encontramos pessoas que nos surpreendem com a sabedoria que possuem e com o testemunho de fé que elas nos dão. Algo parecido já aconteceu com você? Já encontrou pessoas que te surpreenderam? O que nos impede de descobrir e de viver a alegria da presença de Deus em nossa vida?

* A atitude de Maria frente à Palavra expressa o ideal que Lucas quer comunicar às Comunidades: não fechar-se sobre si mesma, mas sair de si, sair de casa, e estar atenta às necessidades bem concretas das pessoas e procurar ajudar os outros na medida das necessidades.

* O cântico de Maria era um dos cântico das comunidades dos primeiros cristãos. Ele revela o nível de consciência e a firmeza da fé que as animava por dentro. Cantado nas Comunidades, este cântico de Maria ensina como rezar e cantar.
* Lucas 1,46-50: Maria começa proclamando a mudança que aconteceu em sua própria vida sob o olhar amoroso de Deus, cheio de misericórdia. Por isso, ela canta feliz: "Exulto de alegria em Deus, meu Salvador".

* Lucas 1,51-53: Em seguida ela canta a fidelidade de Deus para com seu povo e proclama a mudança que o braço do Senhor estava realizando a favor dos pobres e famintos. A expressão "braço de Deus" lembra a libertação do Êxodo. É esta força salvadora e libertadora de Javé que faz acontecer as mudanças: ela dispersa os orgulhosos (Lc 1,51), destrona os poderosos e eleva os humildes (Lc 1,52), manda os ricos embora sem nada e aos famintos enche de bens (Lc 1,53).

* Lucas 1,54-55: No fim, Maria lembra que tudo isto é expressão da misericórdia de Deus para com o seu povo e expressão da sua fidelidade às promessas feitas à Abraão. A Boa Nova veio, não como recompensa pela observância da Lei, mas como expressão da bondade e da fidelidade de Deus às suas promessas. É o que Paulo ensinava nas cartas aos Gálatas e aos Romanos.

Para um confronto pessoal
1) Colocando-me na posição de Maria e Isabel: sou capaz de perceber e experimentar a presença de Deus nas coisas simples e comuns da vida de cada dia?
2) O elogio de Isabel para Maria: “Você acreditou!” O marido dela teve problema em crer no que o anjo lhe dizia. E eu?